terça-feira, 25 de março de 2014

Meu Primeiro Livro!


@ apresento aos meus amigos, um pequeno trecho do meu primeiro livro, que se Deus quiser sairá ainda este ano de 2014!
Não vou dar o nome, segredo! Mas é relativo a educação brasileira e quem sabe mundial?!?! Sonhossss!
" Ao invés de falar de capacidade, o termo que deveria ser utilizado é capacitar, e como capacitar se não há acesso real, principalmente em momentos críticos sociais; vivemos a era da informação e conhecimento, onde saber não é só teoria mas a esta, prática alicerçada, cujo conhecimento é dever da família e de toda a sociedade para com todos que dele necessitem, pode-se oferecer todo ensino de qualidade e quantidade diversas, mas sem o real acesso a este mesmo ensino, tal se revelará elitista e desigual.
Não adianta as melhores escolas, melhores professores, complexos compêndios educacionais, etc, quando o acesso ao que se resume a educação é apenas fictícios metamorfoseado em números estatísticos complexos de pesquisas governamentais ou seja lá de que outra espécie.
O ensino superior, não é mais um ensino para os mais capazes ( ver CF88), e vai contra todos os pressupostos básicos da própria constituição, e não adianta procurar culpados de discurso falso, que escondem o direito a educação de mais alto nível a todos as pessoas de qualquer país que seja.
Capacitar antes de mais nada é dar acesso de toda e qualquer maneira, que não desqualifique a educação em si, mas respeite o aprendizado do ser humano em suas peculiaridades e em sintonia com uma melhor forma de se viver para todos. Que existem o céticos, egoístas, avarentos, etc, e que todos temos em certas doses os mesmos defeitos e qualidades, já se sabe, e isso mesmo nos faz iguais, mesmos que sejamos também muito diferentes uns dos outros, por isso é que somos classificados como seres humanos talvez. Este mesmo ser humano precisa como se por espelhos, agir em pro de si e dos outros como seus iguais, independentemente de suas diferenças, para que todos possam ter o direito de se realizar como pessoa respeitando a si é aos outros.
É claro que não se deve confundir acesso com facilitação por meio da desqualificação da educação, mas oferecer gratuitamente as ferramentas necessárias ao aprendizado do ser humano.
Não adianta se falar em acessibilidade só em relação aos pobres, ricos, portadores de necessidades, idosos, etc, se não se levar em conta a gratuidade para todos, vagas abundantes seja em qualquer escola, a distância, ou aonde é quando se necessitar ou quiser..."
Autora: Esc. Profª de arte Flávia Catarina LCF 2014
Curtir ·  ·